OS BONS VALORES A FORÇA MOTRIZ DAS EMPRESAS DO FUTURO.

Os bons valores
image_pdfimage_print

Você já deve ter reparado como é grande, atualmente, o descontentamento de muitos profissionais frente aos seus empregos. Observamos dia-a-dia inúmeras pessoas abdicarem de funções de destaque e buscarem mais simplicidade e engajamento em suas vidas profissionais.

Da mesma forma, temos uma nova geração de jovens profissionais que não se adaptam às exigências das empresas e não medem esforços para delas se desvincularem.

Isso é uma tendência. Muitas teorias emergem para tentar explicar a causa deste conturbado cenário, mas, na minha humilde opinião, penso que a reposta é simples e única: VALORES!

Os valores aos quais nos deparamos hoje estão anacrônicos. Não servem mais para uma sociedade cada vez mais complexa. As organizações, bem como muitas instituições, as quais influenciam nosso modo de agir e pensar, ainda, persistem em manter seus alicerces de funcionamento fincados em valores antigos.

Paralelamente, já vivemos em rede há muito tempo, nossa mente já interage com o novo formato de vida. O conhecimento é algo que se compartilha a todo instante, e a questão da contribuição, da sustentabilidade e cidadania se solidificam e denotam que a grande maioria de nós, indivíduos, quer uma vida mais plena. Desejamos deixar um legado, contribuir com algo que nos ajude, e, consequentemente, aos nossos semelhantes.

No entanto, as empresas exigem de seus funcionários muito mais que antes. Demandam que eles sejam mais completos, que dominem múltiplas funções e que produzam resultados imediatistas com precisão. Ou seja, ainda impera o modelo linear industrial, onde o ímpeto, o desdobramento e a força de vontade de um colaborador(a) é sempre preterido pelo lucro a qualquer preço.

Muitas organizações adotam o discurso de mudança, mas na realidade são poucas as que realmente fazem algo verdadeiro e genuíno.  E isso é, claramente, um sinal de muitas lideranças que mantêm uma mentalidade egóica e preferem ser bem-sucedidas pela imposição, controle e abuso de poder.

Dentro deste espectro, acho que as célebres frases de Einstein vêm muito bem a calhar:
“Não tentes ser bem-sucedido, tenta antes ser um homem de valor.”
“Os ideais que iluminaram o meu caminho são a bondade, a beleza e a verdade.”
“Loucura é querer resultados diferentes fazendo tudo exatamente igual!”

O trabalho é, sem dúvida, uma dádiva e a paixão e a criatividade são forças motrizes para sermos realizadores de nossos dons. Ame aquilo que você faz, permita-se, ouse.

Fomos ensinados a viver em um instinto de sobrevivência, a lutar e a competir. Apesar de não vivermos em uma era primitiva mais, é o estilo reptiliano de nossos cérebros, herdados desses ancestrais, que ainda predominam, em larga escala, no dia-a-dia dentro das corporações.

Isso incita o desenvolvimento de nossa personalidade e não de nosso ser genuíno.  Mas a boa notícia é que o mundo está começando a romper com estes antigos padrões, e as empresas que não migrarem a uma nova realidade, tratando seu capital humano como o ativo mais valioso, irão perder, cada vez mais, relevância, independentemente de seu tamanho.

As organizações rentáveis e reconhecidas no futuro serão aquelas que investirem no cultivo e na propagação de bons valores.

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer juntar-se à discussão?
Fique à vontade para contribuir.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *