OBEDIÊNCIA UM OBSTÁCULO À LIBERDADE CRIATIVA E À REALIZAÇÃO DE SONHOS.

POST_OBEDIENCIA_FACEBOOK_OFICIAL.
image_pdfimage_print

“Parece haver alguma coisa nas grandes organizações que esgota a resiliência e a criatividade naturais dos seres humanos”. – Gary Hamel – em seu livro Futuro da Administração.

Até pouco tempo atrás era algo inconcebível utilizar um celular para tirar fotos, realizar filmagens,transações financeiras, ou mesmo usá-lo como um GPS. Pois bem, hoje um celular é muito mais que um simples aparelho de telefone, ele contempla milhares de aplicativos que oferecem praticidade, diversão e melhoram a qualidade de vida das pessoas.

Bem, como foi possível isso acontecer em tão pouco tempo? As respostas são simples: paixão e criatividade.

A Nokia era líder no mercado de celular, mas a base do desenvolvimento dos seus produtos era linear, estruturada no modelo mental industrial, onde os processos eram intensificados para aperfeiçoar algo já existente. Ao invés de investir para tornar os seus profissionais mais criativos, e, consequentemente, agregar mais inovação aos seus produtos, a Nokia investia para aperfeiçoar o seu processo de produção,aos quais os seus colaboradores não eram os agentes principais, e sim as máquinas.

Já a Apple utilizou a criatividade e o sonho de infância do seu sonhador – Steve Jobs – para criar mais que um celular.
A empresa enxergou os  seus profissionais como o principal elo para criar uma organização inovadora e admirável.
Com isso, a Apple inaugurou a era dos Smartphones, e fez com que a Nokia tivesse que mudar radicalmente sua forma de atuação no mercado.

Este exemplo mostra, claramente, que não são as máquinas que possibilitam essas mudanças e sim as pessoas. Repetição de tarefas e movimentos, sem criatividade e inovação, não trazem felicidade. No entanto, nós, seres humanos, somos condicionados a sermos obedientes a estes padrões de comportamento.

Dentro da maioria das organizações do planeta, os colaboradores são vistos, ainda, como peças de uma grande engrenagem, onde cada um tem sua função específica definida e imutável. No entanto, a obediência cega a este modelo de gestão pode custar caro às empresas que não investirem em soluções mais criativas, e também aos líderes que tiverem medo de migrar para esta nova realidade.

O primeiro irá perder rentabilidade e competividade, pois não conseguirá novos talentos para compor suas equipes, e o segundo deixará de exercer um cargo de liderança, pois a relação de poder no futuro não será mais impositiva.

Muitos de nós queremos ser um Steve Jobs, talvez não para ser famoso ou milionário, mas para seguirmos um propósito de vida e realizarmos os nossos sonhos. Contudo, ainda tememos deixar de ser obediente, por muitos motivos, mas penso que os principais são: medo de ser excluído e não pertencer a uma comunidade ou grupo, e também deixar a velha e confortável zona de conforto,onde já estamos estabelecidos.

No entanto, chega um momento em que a angústia cresce e a mudança acaba sendo inevitável, e quanto maior a espera para mudar, mais dolorida esta mudança pode ser.

Portanto, é importante que nos enxerguemos como indivíduos completos, cientes e convictos de que podemos e merecemos, cada vez mais, prosperidade em todas as áreas de nossas vidas.

Não tenha medo de mudar e perseguir o seu sonho. Não tenha medo de abandonar uma profissão ou um relacionamento. Se você não consegue realizá-las sozinhas não tem problema, peça ajuda. Faça um coaching, uma terapia, converse com pessoas de sua confiança.

Quando você procura, com um propósito sincero de mudança, as respostas aparecem.

Porém, é muito importante não confundir falta de obediência com falta de responsabilidade e disciplina. Esses dois últimos são pré – requisitos importantíssimos para a realização de nossos sonhos.

Espero que este artigo tenha sido útil para você.  Qual a sua posição sobre o assunto? Opine!

Material de apoio:

Preparamos uma seleção de alguns livros para você ampliar a sua visão sobre as questões abordadas neste texto.

São eles:
O Coração da Mudança – Jonh Kotter e David Cohen
Imunidade à mudança – Robert Kegan e Lisa Laskow Lahey
Teoria U – Otto Scharmer
O Futuro da Administração – Gary Hamel

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer juntar-se à discussão?
Fique à vontade para contribuir.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *